IDE Missões

Cumprindo o IDE com a missionária Ana Heloysa

15:19:00Cristão Diferentão por Vinicius Castro

Piauí - 2014

Fazer missões não é viajar pelo mundo e conhecer gente nova, isso pode ser uma consequência. Missões é cumprir o IDE do Senhor, para aqueles que creem no Evangelho, e levar esse Evangelho a toda criatura sem medir esforços. Ser missionário é entregar sua vida para Deus em totalidade, é matar suas vontades e sonhos pessoais para viver os sonhos d'Ele. É um caminho difícil, nada florido, mas muito gratificante. Sempre gosto de abordar esse tema aqui no blog, mas percebi que muitas dúvidas chegavam sobre o que é de fato fazer missões e sobre a vida de jovens missionários. Por isso chamei uma amiga incrível que Deus me deu, para dividir um pouco de sua experiência em missões conosco.
Ana Heloysa, nascida em Florânia no Rio Grande do Norte, atualmente mora em Natal onde faz o quarto ano de Psicologia na Universidade Federal. Seu grande sonho e objetivo de vida é ser missionária em tempo integral. Por enquanto, divide sua vida missionária com os estudos. Confira a entrevista abaixo:

Coisa de Jovem - O que é fazer missões para você?
Ana Heloysa: Fazer missões é pregar o evangelho a toda criatura. Como Cristo falou: é viver o evangelho e o proclamar. Dentro das missões que a Igreja pode fazer existem outras coisas: existem ações sociais, ser relevante na sociedade. Mas a principal missão da Igreja e aquilo que só a Igreja pode fazer, e nenhuma outra instituição pode fazer, é pregar o evangelho. Então, para mim, missões é isso.

A principal missão da Igreja, aquilo que só a Igreja pode fazer e nenhuma outra instituição pode, é pregar o evangelho.

Coisa de Jovem - Como surgiu o despertamento para missões?
Ana Heloysa: O despertamento começou na minha igreja em Florânia. Eu participava do ministério de louvor e esse ministério era muito focado em fazer outras coisas além da música na igreja. Íamos para comunidades próximas evangelizar, para outras cidades ministrar, já tínhamos uma veia missionária. Até que um dia, nosso líder Felipe, que foi meu discipulador e me ajudou muito nesse inicio, teve a ideia de fazer um congresso missionário na nossa igreja e chamou um casal de missionários, Rodrigo e Alessandra Belaguarda, que foram os principais preletores da conferência. Eles falaram o testemunho deles, contaram um pouco da experiência e de como eles abriram mão de tudo porque se sentiram vocacionados por Deus e aquilo me inspirou bastante. Fiquei maravilhada, comecei a pensar: “será que não seria uma possibilidade eu viver desse jeito?” Então isso foi a sementinha, desde então eu comecei a buscar oportunidades para fazer missões. No inicio não sabia o que fazer, para onde ir, mas com o tempo Deus começou a me direcionar e mostrar projetos e pessoas que me ajudassem.

Coisa de Jovem – Quando você descobriu que missões era o seu chamado?
Ana Heloysa: Foi no sertão do Piauí, em Julho de 2014. Foi onde eu comecei a obra. Quando eu senti o chamado para missões, eu conheci uma brasileira que mora no país de Gales e leva estudantes para fazer evangelismo lá, pois a igreja daquele pais corresponde muito à realidade das igrejas europeias, com muitas pessoas idosas, poucos jovens, poucas crianças e secularismo e ateísmo  muito forte. Então eu queria ir pra lá, mas não tinha noção de como levantar sustento. Até fiz algumas cartas pedindo ajuda, mas não deu certo. E aí nesse período, através de um amigo, eu conheci o projeto Livre Ser e as inscrições estavam abertas. Deus preparou tudo, fui pro Piauí, passei 10 dias lá evangelizando e percebi que era isso que eu deveria fazer pra ser feliz. Foi lá que eu confirmei meu chamado, na experiência.

Coisa de Jovem - Como foi essa experiência de servir no Sertão do Piauí? (o estado com mais baixos índices de desenvolvimento de todo o Brasil)
Ana Heloysa: Foi uma experiência muito impactante porque o sertão do Piauí tem suas particularidades, por exemplo: em Janeiro de 2015 (participei desse projeto em julho de 2014 e janeiro de 2015), eu fui para uma cidade chamada Acauã e lá tinha um índice altíssimo de suicídio. Eu pensava que o problema maior do sertanejo era a seca quando na verdade há muitos outros, tem a prostituição infantil, tráfico de pessoas e essa questão do suicídio que me chocou muito. Essa foi uma oportunidade incrível de servir as pessoas lá, de dizer que Deus não esqueceu o Sertão. Eu tive a oportunidade de ver na prática aquilo que Cristo disse que aconteceria de aos pobres estar sendo pregado o Evangelho, o Reino dos céus. Eu aprendi com aquelas pessoas! A gente vai pra abençoar levando a mensagem do evangelho, mas volta muito abençoado e vê o quanto Deus pode operar em contextos que a gente nem imagina. Foi uma escola, um divisor de águas. Eu aprendi muito sobre como é ser cristão e ser discípulo.



PERGUNTAS DOS LEITORES:
1   Como sua família lidou com seu chamado missionário?
Ana Heloysa: Ai meu Deus (risos), vamos lá. No início de tudo, e até ano passado, meus pais achavam que era fogo de palha, sabe? Diziam “ah, está dando aquela vontade de momento nela mas vai passar, é coisa da juventude”. Mas conforme o tempo foi passando e eles viram eu me envolvendo cada vez mais, desejando ir nas férias para escolas missionárias, perceberam que era uma motivação real mesmo, algo de Deus. Mas em casa eu enfrentei alguns desafios, porque meus pais são comerciantes e moram no interior onde é uma realidade muito difícil; trabalham muito e o que a gente consegue não é proporcional ao nosso trabalho. Por isso eles sempre investiram muito em estudos na minha vida e do meu irmão, para que tivéssemos uma vida estável financeiramente. Mas aí Deus me chama para uma vida nada estável, principalmente na questão financeira (risos). Foi muito difícil pra eles no inicio e eu quero ser missionária em tempo integral, viver apenas para isso. Eles sentiram esse choque, principalmente meu pai que sempre me dizia “como você vai se sustentar?”, mas eu sempre respondia: “Deus vai me sustentar”. Algo muito forte que aconteceu sobre isso foi quando eu fui para o Panamá, para um Congresso Missionário de estudantes cristãos, e eu precisaria de muito dinheiro para ir mas não precisei gastar nada do que eu tinha, nem nada do que eles tinham, porque Deus providenciou tudo. Três dias antes do projeto eu não tinha o dinheiro completo e Deus providenciou, isso serviu para acalmá-los e verem que Deus está comigo, está conosco. Hoje eles aceitam muito mais!

2  Você cursou uma faculdade antes e foi ou não fez?
Ana Heloysa: Foi durante a universidade que eu descobri meu chamado. Eu ainda estou na universidade, na graduação de Psicologia, no quarto ano, e o meu chamado se fortaleceu muito quando eu entrei aqui. Quando cheguei nesse projeto de 2014 eu já estava na faculdade desde 2013. A vida aqui pra mim tem sido uma jornada espiritual mesmo, eu tinha muito medo de entrar e abandonar a fé. Eu não sabia o que aconteceria comigo, se eu encontraria cristãos na universidade e Deus fortaleceu a minha fé nesses anos como nunca havia acontecido antes nesses nove anos de vida cristã. A universidade tem sido muito importante pra mim nisso, fortalecer a base da minha fé, porque quando temos o confronto, temos a oportunidade de provar o quanto nossa fé é válida e real.


3   Para você, ser missionário só depende da sua vontade de querer ir ou alguém te indica para isso?
Ana Heloysa: Quando eu entendi o meu chamado missionário eu queria muito pegar a mochila e ir sozinha para qualquer lugar, pelo sentimento muito forte do momento. Mas, com o tempo, eu venho aprendendo que é muito importante que você tenha um preparo e apoio da sua igreja, de amigos cristãos e de outros missionários que estão ali na mesma missão e estilo de vida. Ter o apoio de uma agência missionária também é muito importante para dar suporte e direção. Antes de tudo, você precisa ter o desejo de ir, motivado pela sua convicção de seu chamado e de que Deus está te chamando e não apenas porque você quer viajar, quer ter um status na igreja. Muitas pessoas tem uma ideia romantizada de missões, como se essa vida fosse florida e fácil quando na verdade é o contrário disso. Você precisa ter a certeza de que Deus está contigo nos melhores momentos e nos piores, ter fé que ele vai te sustentar. É importante ter ao seu lado pessoas que estejam com você, que orem por você e que confirmem o chamado que você tem. Pois se você diz que quer fazer missões, mas você não dá frutos disso, será mesmo que é um chamado real ou apenas algo que você desejou e que depois pode passar?

Coisa de Jovem - O que é uma agência missionária?
Ana Heloysa: É uma organização que pode ter fins muito específicos. Ela tem um corpo de missionários e tem um fundo mantido por outras pessoas, igrejas, etc. Existe uma agência muito conhecida, PORTAS ABERTAS, que lida com missões em países perseguidos. Existe a Livre Ser que trabalha apenas com missões no sertão do Piauí. E aqui mesmo em Natal existe uma agência em desenvolvimento, da qual participo, para povos não alcançados. A agência serve para dar objetivo a sua missão, ajudar o missionário a viver essa vida, ter uma rede de mantenedores e também treiná-lo para a missão.

Coisa de Jovem - O que você diz para os jovens que tem vontade de ir para o campo missionário e sentem que tem esse chamado mas tem medo?

Ana Heloysa: Gente, a minha resposta é: enfrente o seu medo. Confronte o seu medo e não deixe que ele paralise você. Porque o medo realmente virá muitas vezes em cada desafio da vida missionária. Eu não sou missionária em tempo integral ainda, mas nesses anos que eu tenho conhecido mais dessa vida, e até onde eu posso praticar isso integralmente, eu vejo que cada desafio nos mete medo mesmo. Por exemplo, você pensa “eu quero ir para um projeto em tal lugar, mas como eu vou conseguir dinheiro?” Essa é geralmente a primeira coisa que a gente pensa. Mas se Deus está contigo te chamando, Ele vai prover. Estar com Deus não é pouca coisa, é o próprio Deus ali contigo te guiando. Então não deixe que o medo te paralise, não deixe que ele te impeça de viver o que Deus tem para sua vida, não deixe que as palavras de outras pessoas te coloquem para baixo. A gente olha muito para as coisas com olhos humanos, mas devemos começar a viver pela fé. Não tema porque Deus é com você e a sua Graça é enorme e te fortalecerá. "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" Você precisa estar ancorado nessa palavra. Estejam firmes em Deus.

Para saber mais sobre o LIVRE SER, acesse: http://sertaolivre.org.br/
Para saber mais sobre o PORTAS ABERTAS, acesse: https://www.portasabertas.org.br
Para saber mais sobre a AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO DE POVOS NÃO ALCANÇADOS - Natal, acesse: https://www.facebook.com/adpnas/

Você também vai gostar de:

2 comentários

  1. Amei a entrevista!!! Ótimo ver o crescer da Ana Heloysa e ver como Deus a tem chamado e a capacitado para toda boa obra que ele a coloca. Fui e sou muito abençoado pela vida dela, Graças a Deus.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Lucas! Ela é uma benção!

    ResponderExcluir

Fala pra nós o que você achou!

Formulário de contato